publicado em 05/01/2012 às 10h54

Policial quer adotar cão que levou tiro na cabeça em Itajobi, SP.

Após recuperação


O policial militar Humberto Pereira, que atendeu a ocorrência de execução de dois cachorros em uma propriedade rural em Nova Cardoso, distrito de Itajobi no interior de São Paulo, disse que adotará o único animal sobrevivente a um disparo de espingarda. "Vamos aguardar pela recuperação dele. Se tudo correr bem, vou ficar com o cachorro", informou.

A veterinária Andréia Cristina Ambrizzi conta que o pastor belga ainda corre risco de morrer. "Estou com ele a menos de 24h. Risco de morte existe porque um projétil atingiu o crânio". A profissional ainda comenta que há possibilidade de perda nos movimentos. "Como a bala afetou o lado direito da cabeça, o cão está com dificuldade para andar. Fica deitado, mas consegue se alimentar", explica. Ele também recebe medicação e deverá permanecer na clínica pelo menos durante uma semana.

O cão tem cerca de 2 anos de vida e foi encontrado pelo policial depois de ter recebido o tiro. O soldado informou que o dono da chácara estava irritado com as perdas de outros animais que cria no local. ?Ele disse que estava trazendo prejuízo para a propriedade?, lembra. Outros dois cães foram mortos a tiros pelo mesmo motivo.

O autor dos disparos foi preso em flagrante por posse ilegal de arma. Depois de prestar depoimento, ele pagou fiança de dois salários mínimos e responderá em liberdade pelo crime de maus-tratos a animais.

Fonte: G1